quinta-feira, 20 de agosto de 2009

“Ó Bela Lua Cheia”


-Consolo dos corações celtas-




Ó Pérola de aura azulada
Brilho noturno, jóia de muitas camadas
És o olho da Deusa
Cuja pupila se dilata
Em sua íris translúcida
A vigiar o sono dos mortais.
Sol da noite, ilumina!
Sensação de amor
esvazia a melancolia;
Ser por teus raios banhado é,
por si só,
Alegria!
A paixão enaltece, a dor suaviza;
Dúvida anestesia...
É teu manto de prata sobre nós...
Fantasia!
Infância secreta trazia...
Esperança,
Da fé maestria.
Doce frescor prateado,
Luar sobre a noite espelhado,
Com faíscas de estrelas pontilhado;
No meu coração inquieto
Tu cais como gotas de orvalho.
Pisca em mim as fagulhas,
Ó olhar da Rainha da Noite,
Como beijos transparentes,
Como cósmico silêncio
Pela madrugada afora,
E me faça acreditar,
Infinitamente agora, que
Crescendo, Plena e Novamente
Teu amor em mim derramarás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário