sábado, 31 de julho de 2010

O Caminho do Xamã

O caminho do xamã
Não é ingreme, mas é escarpado
Não é solitário, mas requer o silêncio interior
Não é dificultoso, mas exige perseverança
Não tira nada além do que é desnecessário e atrapalha

E também nada acrescenta ao que a alma já não tenha
Mas devolve, ao herdeiro, o que é seu por direito

O caminho do xamã percorre água, fogo, terra e ar
Há testes, batismos
Um tempo de assentamento e outro de aprendizado

Percorre o tempo no sentido anti-horário
Resgatando o conhecimento para que assim
Desmembrado, ele possa ser reconhecido

Desvela o oculto não do ao redor
Mas do que está interno
E geralmente é a trava que impede o progresso de cada alma
Destrava o por dentro
E vendo o desmontado por fora
O filho da Terra consegue então
Remontar a realidade compreendendo-a melhor

A cabeça do xamã tem de ser lago sereno e cristalino
Onde as profundezas irrigam
Alimentando o corpo que é da Terra
Enquanto a superfície espelha todo o universo
A sabedoria estelar

Recebendo em si os animais que o visitam
Os que nele moram
E os que da sua água vem beber também para aprender
A relação do xamã é simbiótica com o Todo
Mas mantém a sua consciência individual
Pois ele tem de saber que a pedra e a árvore estão em si
Mas que ele não está ali contido ou limitado
Nem é somente pedra ou somente planta

O caminho do xamã reúne amigos
Mãos e bocas para compartilhar
E sustentar a avidez e a aridez da busca

O xamã é assistido por ascendências além das suas naturais
E da mesma forma deve assistir
Além do seu círculo comum
A quem no seu caminho pousar
E deve ampliar sua descendência
Muito além do seu sangue
E muito mais ainda além do seu amor

Para que aumentem as chances de
Todo aquele que busca encontrar
De todo o que procure achar
Cumprindo assim a profecia

Quando o professor está pronto
Aprendiz não falha
Quando o mestre acende a luz
Escuridão não tarda


Limpa o peito e acende a alma
Filho de céu, rochas e ar
Que a Lua que te apascenta e o Sol que te incendeia
Não cessam de clarear
Teu caminho que há eons
Aguardamos tua coragem para trilhar
No alto da montanha esperamos
Tua chegada para celebrar

Tua vitória sobre si mesmo
E a posse dos bens que estavam a te aguardar


Hô!

Nenhum comentário:

Postar um comentário