segunda-feira, 16 de maio de 2011

A Cura




Pode a cura a algum ser humano
o seu irmão trazer?
Ou será só mais uma quimera
a nos iludir com prazer?

O que pode ter um filho
que ao outro faltaria?
Que dom tão inusitado
a mazela afastaria?

Eu te digo: Pode sim, o prego furar o pinho;
mas não pode furar metal.
Nem a  rocha magmática
transformar em ouro o areal.

Se a ponta é fina,
fura.
Se rotunda, alisa 
a beira do alguidar.

Assim cada filho exibe
aquilo que do Pai Maior já traz
aprimorado n'alma
e lhe dá paz.

Quem treinou com tiro
hoje há de ajudar manter a paz.
Quem negou comida ao próximo,
reúne e distribui o pão.
Quem mentiu, mostra a verdade;
quem prendeu há de soltar.

Essa é a Lei
e reza a Ordem;
"Pai Maior num se enganar"
Aqui plantou, aqui colhe.
Não é possível escapar.

Quem cavou, tampa o buraco
Quem soltou a fera, a prende.
A dama abandonada hoje volta
como a filha emocionalmente doente.

Até na natureza a lição se repete:
o vento que despedaçou
retorna brisa que refresca;
a água que aqui faltou, 
abundará em outras terras.

Tudo busca o ideal do equilíbrio
Se demora é porque falta
aos homens compromisso.
Distraídos vão ficando, pelas beiras dos caminhos...

Ontem, o que podia ter sido amor,
hoje é o serviço...

13/08/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário