sábado, 2 de junho de 2012

Bruxa: Ser ou Não Ser, eis a questão



Uma Bruxa nasce pronta, mas se não se preparar para o ofício, será eternamente semente.


Quem nasce bruxa sabe que é, ainda que o mundo inteiro lhe dê diversas nomenclaturas, quando julgam ‘bruxa’ pejorativo: maga do Bem, angeóloga, seguidora das fadas, estudiosa de ciências ocultas, xamã, e a mais moderna de todas, terapeuta holística.
Entretanto o oposto nem sempre é verdadeiro. Nem todo psicólogo é bruxo, nem todo estudioso é um visionário, ainda que alguns, geralmente os melhores do ramo, o sejam. 


Mas viver da bruxaria é algo complicado... como explicar para um bando de ‘trouxas’ como funcionam as regras no mundo dos harry potters? As pessoas nos procuram como quem compra um serviço: 50 real pra trocar o encanamento, 30 por uma blusinha da moda, 3 paus por uma lipoaspiração = 50 mango uma limpeza energética, 80 uma leitura de Tarot, 1000 reais pra trazer o ex ou a ex de volta.


Essa relação desgastante entre duas culturas em choque, a materialista-capitalista e a espiritual-evolucionista-vamos-ser-mais-felizes-agora-e-fazer-tudo-certinho-pra-modi-o-Bem-vencer me fez fugir daquilo que posso dizer ser um dos meus maiores talentos naturais: aconselhar pessoas. 


Fui pra Santa Catarina viver a ‘vida normal’, trabalhar das 5 às 23h pra pagar as contas e deixar a espiritualidade somente para os fins de semana, as leituras inspirativas e os momentos de louvor e reconexão ou de grande necessidade. 
E é claro,  os equinócios e os soltícios, porque como me disse uma vez minha amiga Lullu Saille, 'uma vez da Deusa, sempre da Deusa'.


Por quê?
Estava de saco cheio de abordar mil aspectos da vida da pessoa, ter um mentor ali do lado explicando coisas sérissimas sobre ligações kármicas do passado da pessoa e sobre como ela deveria proceder pra vencer os desafios que ela mesma se propôs e concluir com êxito seu plano encarnatório, e a pessoa ali só querendo saber de macho. Assim, não vou nem usar meios termos, a palavra é essa mesma: ‘macho’. Como dizia numa tirinha de cartoon que eu vi outro dia no Facebook, onde a cartomante podia falar de trabalho, saúde, espiritualidade, tudo, o interesse da pessoa do outro lado da mesa é se ela vai ter ou não pra quem dar no final de semana.

Não pense que eu seja contra o Amor, muito pelo contrário, sou shipper até a alma, mas pelamor, um relacionamento que valha a pena com certeza será abordado numa consulta oracular, mas não cada ficante de fim-de-semana!


Injuriei! Totalmente! Enfiei os baralhos, as runas, os oghans, as essências, os perfumes e os sais mágicos e a varinha de condão tudo no saco (de cetim e veludo) e dali só os tirei pra quem realmente necessitava de uma consulta séria. Assim procedi durante os últimos 11 anos.

Além disso, eu tenho o problema de ser britânica demais pra esse país (não virei professora de inglês à toa!) e minha ética me impedia de ganhar dinheiro às custas da escravidão ou da dependência psicológica das pessoas para quem eu lia, e frequentemente quando a pessoa ia embora, satisfeita, e me perguntava quando devia voltar, eu respondia: “Na próxima  vida, pois nessa eu já te falei tudo o que eu tinha pra te falar. Seja Feliz e tenha uma Boa Vida!”


Para quem trabalhava eventualmente em espaços esotéricos, isso não era exatamente um modelo de sucesso de business... Então eu morria de desgosto quando a pessoa voltava super feliz em me ver dali 3 meses (prazo estipulado pelo espaço) enquanto eu queria pular pela janela, assoviar pra vassoura vir e fugir dali a milhão!

Sim, eu sou uma bruxa relutante nessas questões de oráculos! Mas é porque eu quero que a pessoa crie asas e voe e não que ela se torne viciada em saber o que os astros, as cartas, os números ou os guias espirituais tem a dizer sobre cada aspecto da vida rotineira dela a cada 15 minutos; não que ela tire runas pra decidir se vai buscar pão agora na padaria ou espera dar 6 horas pra ver se o pão está mais quentinho...

Eu já completei bodas de prata faz tempo como uma buscadora dentro dos caminhos da espiritualidade, o que é muita coisa pra quem não tem 40 de idade biológica, e só de prática oracular já se vão 23. Foram milhares de leituras, consultas e dezenas de rituais de celebração e de cursos de preparação de novos oraculistas.
E agora estou voltando.

Sim, esse post é para isso. Para dizer que não é possível fugir daquilo que se tem pra fazer, mesmo que se tenha todos os motivos do mundo para agir assim. 
O Destino fala mais alto, e a Missão também.

Agora, sou uma sacerdotisa umbandista, de fato e de direito, e  a um sacerdote não é permitido quebrar seus votos. Votos que fiz, com entidades que me acompanham no Astral desde o nascimento, que têm me orientado e orientado outros através de mim sempre que eu mesma não me torno o impedimento para isso. 


Já há algum tempo tenho sido ‘convidada’ a retomar meu assento na Santa Ceia dos Magos, aquela na qual o alimento a ser servido é você mesmo, numa sapiensfagia bem ao estilo da esfinge: “Decifra-me ou Devoro-te”, mas a resolução veio após ouvir as palavras de uma cigana, que bateram fundo na minha arrogância:

“Já pensastes se os médicos fizessem como tu, e porque tudo explicam aos seus pacientes em como devem proceder com a saúde e alimentação e eles nada fazem a respeito, se revoltassem, ignorassem seu juramento à Hipócrates, e dissessem:


 ‘Não mais atenderei essas pessoas, pois dou o melhor de mim, tudo aquilo que estudei para o bem estar delas, e elas não dão o menor valor nem fazem a sua parte!’ 


Já pensaste que não haveria mais médicos disponíveis para tratar de ninguém?”

Bom, é isso, pessoal, estou de volta. 
Atendo com Tarot, Baralho Cigano, Runas, Ogham e a consulta vai acompanhada dos meus outros conhecimentos que mais se fizerem necessários: Astrologia, Numerologia, Florais, Naturologia, Cromoterapia, Xamanismo e Reiki


Cursos de Tarot, Baralho Cigano e Runas.


Em breve vou divulgando outras novidades, como Búzios, e detalhes sobre a minha forma de trabalhar com Numerologia, Xamanismo e Reiki. 

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: apesar da minha extensa quilometragem de leituras dentro da área de terapias, arquétipos e mitologias, quero deixar BEM CLARO que o trabalho que faço é o de uma Consulta Espiritual e não de uma leitura com abordagem psicológica ou terapêutica. Junto comigo estarão os mentores desse trabalho espiritual, e muito mais do que ao meu próprio conhecimento, eu procurarei ser fiel às indicações deles para resolver o seu problema, portanto, a Fé na Espiritualidade Maior é o que guiará e definirá o teor da consulta, e não tudo o que eu li sobre Jung, Campbell e Cia. Ltda.

Espero que nessa nova fase desse trabalho eu possa também aprender com vocês, tanto quanto vocês comigo.

Boas Fortunas para Todos Nós!

PS: Mas tá avisado: se neguinho vier me perguntar qual time vai vencer a final, vai sair capado....



segunda-feira, 23 de abril de 2012

Deus, o Diabo e as Filhas de Jó



Era uma vez, uma menina que ia com sua mãe, de porta em porta atrás da sabedoria de Deus.
Iam elas a todos que diziam ter as respostas e conhecer os mistérios das leis de Deus.
Iam elas porque gostavam, e mesmo se não tivessem problemas iriam, mas iam também porque moravam com dois demônios, que as aprisionavam no limbo e elas queriam saber porque Deus as castigava tanto, permitindo que os demônios as atormentassem à exaustão.
Elas não buscavam vingança contra esses demônios, mesmo eles sendo perversos e renitentes no mal, sugando-lhes o sangue diariamente e as atormentando com vis mentiras e torturas psicológicas dos mais diversos tipos.
 Os demônios eram muitos espertos, e quem de fora olhasse não acreditava a princípio que eles eram tão maus assim.
O primeiro demônio era acima de tudo arrogante e ignorante, e tinha dentro de si um lado bom, que às vezes vinha para fora, mas mais frequentemente endereçado a outras pessoas, que não sua família, as quais ele buscava impressionar. Ou ao segundo demônio, seu filho, que ele acreditava ser seu herdeiro amado.
O segundo demônio entretanto, nasceu mais forte do que o primeiro, e fortaleceu a maldade de seu pai, embora no fim da vida deste, provou-lhe com maus tratos  quando ele estava enfraquecido pela idade e pela doença que nunca de fato o amara.
O demônio mais jovem, ao contrário de seu pai, nunca ajudava ninguém, e todos que dele se aproximavam eram ludibriados, e cedo ou tarde roubados, agredidos, espoliados e vilipendiados. O demônio mais jovem não sabia o que era honra, decência ou honestidade, e embora desconhecesse, como todos os demais demônios deste mundo e de todos infernos,  o significado da palavra gratidão, ele costumava cobrar isso dos outros, e sentia-se no direito de vingar-se de quem achava, em sua mente doente, que lhe devia algo. Mesmo que fossem as boas maneiras que ele nunca teve para com ninguém.
Como todos os demônios, eram sujos, mentirosos e violentos.

Cansadas de tanto sofrer, bateram um dia mãe e filha a uma porta onde um oriental lhes disse que eles não eram na verdade demônios. Elas é que pensavam que eles eram. Elas deveriam todos os dias recitar orações e repetir que eles eram maravilhosos filhos de Deus perfeitos. Na verdade deveriam agradecer a Deus por não haver benção maior do que conviver com demônios tão perfeitos como aqueles.
Mãe e filha tentaram seguir o conselho do mestre oriental, mesmo porque não tinha opção melhor. Entretanto os demônios não melhoraram. Nem um pouquinho. E elas acabaram se sentindo idiotas por sofrer e ainda louvarem seus algozes.

Tentaram então uma segunda porta, onde um homem de estola de roxa lhes disse que orassem a Santa Mônica , mãe de Santo Agostinho, que lhes concederia o mesmo milagre que obteve com a intercessão da Virgem Maria, de ter um filho redimido dos seus pecados. A mãe orou, mas Santa Mônica, decerto estava ocupada com muitas outras mães que tinham filhos perversos, pois o filho demônio, não melhorou nem um pouquinho. ao contrário só piorava.

Na terceira porta havia uma mulher que estudava demônios e lhes disse que na verdade eles não existiam, mas eram reflexo da mente delas. Culpava prioritariamente as mães, dizendo que ninguém nascia demônio, e que algo ela devia ter feito de muito ruim, para estragar a cabeça do demoninho e deixá-lo tão transtornado. Ela disse que mãe é quem deveria fazer um tratamento, e deixar o infante demoninho ser feliz.
Aparentemente a mulher que estudava demônios precisava estudar mais, pois o conselho não adiantou de muita coisa, e o demônio 'infante' foi expulso da escola, roubou um professor e engravidou uma adolescente.

Para piorar, após a morte do demônio pai, as coisas ficaram ainda piores e onde já não havia nem paz, nem amor nem respeito, entrou também a necessidade. Alguns amigos penalizados trouxeram víveres e deram conselhos. Alguns elas já tinham seguido, outros não acreditavam ter serventia alguma, mas nada diziam pois eram necessitadas e queriam demonstrar gratidão. Outros elas procuraram seguir, mesmo em dúvida. Mas de nada adiantou e o demônio filho só piorava dia a dia. Roubava, mentia e envergonhava mãe e filha em toda vizinhança. Por onde andava só o mal espalhava. Ainda por cima, exigia uma herança que não existia além do precário teto onde moravam, do qual se alardeava dono, embora dependesse da mãe e da irmã por um prato de comida, pois era vagabundo, perdulário, só se envolvia em dívidas e se relacionava com outros demônios de índole semelhante dos quais a mãe e a filha só queriam distância.



Na quarta porta, assim que mãe e filha chegaram lhes impuseram as mãos, lhes ofereceram água e lhes deram respostas. Disseram que era culpa delas embora disso elas não se lembrassem. Tudo ocorrera no passado e agora era tempo de expiar más ações pregressas. Mas se elas se esforçassem, orassem em casa e fizessem tratamentos espirituais, tudo melhoraria, pois este, diziam, era o Plano do Mestre.
Elas fizeram os tratamentos por anos, sem perder a fé, beberam litros d'água e conheceram sovacos com todos os tipos de formatos e odores, de tantos obreiros que lhes impuseram as mãos. Mas nada surtiu o menor efeito.

Alguns anos depois, em decorrência das ações do demônio,  elas perderam a casa e se mudaram para um lugar muito ruim, onde não tinham nem família, nem amigos e nem obreiros com sovacos solícitos a lhes oferecerem sua confortadora atuação.

Então algumas pessoas lhes disseram que a porta onde haviam entrado era a causa do grande mal de suas vidas, que ali era a residência do Satanaz e por isso elas não tinham sido libertadas nem eram merecedoras da misericórdia divina. Era preciso renunciar a essa fé amaldiçoada que seguiram por anos e aceitar o Mestre verdadeiro como única salvação. Mãe e Filha conversaram e não entendiam, pois já haviam aceitado o Mestre há muito tempo. Também não acreditavam que o Mestre estivesse contido atrás de uma única porta. Ainda assim, pensaram, 'não custa tentar'. Foram a uma reunião da quinta porta. Acharam todos muito simpáticos e tudo muito bonito, mas as explicações um tanto ilógicas ou infantis. Coincidentemente o demônio filho fora convidado para ir a uma filial da quinta porta com amigos que ele pretendia explorar. Deram-lhe um livro sagrado e ele disse que aceitava seu mestre. Chegou a postar no Facebook que "Tudo podia naquEle que o fortalecia".
De longe a filha viu a postagem e não acreditou....
Tempos depois mãe e filha acharam páginas do livro sagrado que ele havia ganhado rasgadas, utilizadas como papelotes para o feitio de cigarros estranhos.

Na sexta porta foram até pessoas que lhes diziam que os demônios eram na verdade doentes. Que eles precisavam obter uma cura, e que era indispensável para esta o papel da família. A mãe foi numa reunião, mas a filha não acreditava que esta porta ajudaria, pois conhecia o demônio de longa data, desde quando ele não fumava cigarros estranhos, e não achava que elas faziam a menor diferença no cárater (ou na falta de) dele, e por isso não foi. Numa operação espetacular, cheia de promessas falsas e pseudo-eficácias dissimuladas sob a égide da fé, demôninho foi levado pra um lugar bonito, em meio a natureza, para ser curado. Pouco tempo depois demoninho fugiu, e estava de volta, tão demônio quanto antes.

Um dia, muitos anos depois e as mesmas desgraças repetidas ciclicamente, uma sétima porta se abriu, e por ela gente que dizia já ter vivido aqui mandava por um fim a essa situação. Que 'cabra safado tem que penar só e não receber abrigo de duas mulé que mal tinham para si sustentar'. Vários outros mestres dessa porta vieram até elas para dizer a mesma coisa. Pelo menos foi um alívio não mais ouvir alguém lhes culpar.

Até hoje elas tentam fazer isso. Mandam o demônio embora, mas ele não vai.

 Disseram que existe agora uma delegacia especializada pra mulheres vítimas de demônios. Talvez agora possam lhes ajudar.

Mas elas já estão velhas, cansadas, doentes e cronicamente infelizes. Na porta por onde entrou a necessidade mais de 20 anos atrás, Esperança já se foi há muito tempo.

Aprenderam muito em todas as portas que bateram. Nem tanto sobre Deus e seus mistérios. Sobre isso elas aprenderam sozinhas. Mas aprenderam sobre o ser-humano. Muito.

Recentemente a filha, conversando com um desses mestres sábios que por aqui já andaram em outros tempos e que hoje se comunicam pelos corredores atrás da sétima porta,  perguntou:

"- Será que o senhor poderia me responder uma coisa? (e contou toda a história resumidamente) Em tantas portas batemos e nenhuma adiantou. Sempre quiseram nos encaixar dentro de suas teorias e nós até tentamos nos encaixar, pois se isto fosse resolver nosso problema, estaríamos dispostas a rever nossos conceitos, nossas crenças, enfim, tínhamos humildade e esperança para mudar e vencer. Agora pai, ao contrário do que reza a maioria, que o sofrimento ensina, e purifica a alma, acho que só me tornei mais arrogante, pois não acredito no que mais ninguém me fala, e acho que o mal deve ser cortado pela raiz, com pena de morte e tudo pra quem faz mal aos outros. Acho que não me espiritualizei, e sim me materializei, pois vejo que as coisas da matéria tem de ser resolvidas com as ferramentas disponíveis na matéria. Acho que só perdi tempo esperando a justiça de Deus agir. Acho que nem acredito mais nela. Entrei por um caminho em que me dispus ao sacerdócio junto a sétima porta, que foi a que maior conforto me deu e com a qual mais me afinizei, para ajudar outras pessoas, mas eu mesma, só acredito vendo. Minha Fé está atrelada a eficiência e comprovação de resultados. Antes eu cria por crer, agora acho que virei São Tomé.
Batemos em portas que são famosas por levarem a caminhos de luz, paz e prosperidade. Mas elas não nos conduziram a nada melhor do que o inferno em que já vivíamos. O senhor tem alguma resposta a me dar, algo que possa me esclarecer sobre isso?"

O homem da pena branca, para espanto dela, respondeu:

" - Filha, tanto você como sua mãe passaram numa iniciação no astral que agora está sendo reconfirmada na matéria. Chama-se iniciação de Jó. Leia o livro e peça inspiração pra você entender o que isso significa."

A filha releu o livro e, como da primeira vez, se revoltou.
Deus e sua boca grande, provocando a inveja de Satanaz -  e o que Jó tinha a ver com isso?
Deus e o Diabo jogam xadrez e Jó é quem paga as contas?

O livro dizia que depois Jó teve em dobro tudo o que Deus permitiu que o Diabo lhe tirasse. Ele teve que orar e oferecer sacrifício de animais.
Ao reler o trecho da bíblia, a filha reconheceu nos amigos que querem por toda lei achar um defeito, uma culpa em Jó que justifique o que lhe aconteceu, todas as pessoas por todas as portas pelas quais passou. E também por pontes e estradas onde familiares, vizinhos e amigos lhes viraram as costas, tal qual fossem amaldiçoadas. Coisa que de fato elas também já se julgavam ser.
O homem da pena branca falou que era possível revogar essa iniciação, mas que não aconselhava, pois faltava pouco para chegar ao final.
Mas e agora. O que ela deveria fazer?
 Holocausto não faria, era vegetariana. Além disso não achava lógico que Deus apreciasse churrasco acima de todas as coisas.

"- Devo orar? Pedir perdão? Mas se nada fiz, tal como Jó, pedir perdão por quê? Por ter perdido a Fé? Por estar cansada demais para acreditar em finais felizes? Por que a Justiça Divina se parece cada dia mais com um mito?Eu quero acreditar. Mas primeiro, preciso de um milagre. Como não acredito que ele venha, é provável que de fato ele nunca aconteça."

(to be continued)



quarta-feira, 28 de março de 2012

Conselho de Janaína

O Amor é Sinfonia de Sentimentos
Rearranjo de Emoções
Aflições de Pensamentos
Uma Bênção que nos traz
Luz nas sombras e sofrimentos

Não transforma o teu Amor
Mar de Dor em firme alento
Mas transtorna o agressor
Torna a vítima, de inerte elemento
da sandice revelador lamento

que expõe a sanha inglória
de impor ao outro tão horrendo
descalabro de exigências
protocolos, jus apegos que não podem garantir
 a ninguém o afeto verdadeiro

O doente coração, quando dá, pensa e já cobra
A eterna gratidão, fieldade, retidão
de caráter de outro alguém, como fosse seu senhor
Considera o livre arbítrio só promessa
Um compromisso de consentida prisão

Não tolera a realidade e quer criar outra para si
Nas Marés da Vida não confia
Quer ser Dono do Porvir

Mas não pode ser feliz
Quem humano não puder errar
Para aprender que 'direito' é muito longe pra poder amar

Melhor viver no momento
O que a Vida tem pra te dar
Louvar a Deus toda Força
De Sentimentos que Teu Peito puder Ofertar

Erguer Asas e dar Graças
A todos os Orixás
Que te permitiram hoje
Respirar, Sonhar, Amar

Buscar n'outro a tua cópia
de inumana perfeição
Estarás fadado à falha
e insucesso da missão

de ser feliz na poeira, na chuva,
na lama e na tempestade
Apesar de haver na Terra luta, ódio
e perseguição à Verdade

Segue apenas Tua Estrela
A que brilha no Altar
de todos Amores Puros
que puderes encontrar

Busca n'outro só a metade
de outros erros que não tens
e aceita as diferenças
Não faz caso, diz 'Amém"

Que estarás mais perto agora
de ser feliz do que quem
ainda segue amando
a idéia de Cristo que ninguém tem

Um ser perfeito, amoroso, que jamais erra e se dá
Corpo, Sangue, Vida e Espírito
e só por Amor nos Salvar

Não é este teu companheiro ou companheira de missão
Permita então que eles errem
E alivia o fardo da solidão.


Janaína
26/03/2012

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Canalizações e Equívocos


Um Mal Entendido Chamado Canalização


Primeiro de tudo, eu quero deixar claro que acredito nas comunicações das entidades denominadas Kryon (pelo menos quanto ao seu ‘canal’ original Lee Carroll, pois não conheço todos), Abraham e Seth. E sendo assim, potencialmente creio que possa haver VERDADE na manifestação de outros seres que venham a se comunicar por essa mal fadada via, erroneamente tida como variedade mediúnica, chamada CANALIZAÇÃO.
Eu acredito, sim, em extraterrestres (embora eles possam ser muito mentirosos), em família espiritual em missão conjunta na Terra, em transição planetária e até em guia de Umbanda extraterrestre. Essa não é a questão. E também estou no fogo porque já divulguei mensagens recebidas por mim que também denominei de canalizações, por ser um termo mais característico dessa vertente que lida com comunicações de extraterrestres – com as quais, enfatizo a necessidade de cuidado centuplicado pois nesse meio abundam as maiores abobrinhas e os maiores fanfarrões da espiritualidade.
O bom senso deveria bastar, mas infelizmente tal não ocorre, as pessoas parecem ter um imenso prazer em ver chover no molhado.
Recebo e-mails com mensagens supostamente canalizadas e as pessoas que me enviam tecem comentários maravilhosos, geralmente que ‘bateram exatamente com seu momento atual ou como se sentiram ontem às 03h00 da manhã’; agem como se acabassem de ter lido Shakespeare ou Manuel Bandeira, de tão enlevadas que se sentem e afirmam ter certeza de que a mensagem foi uma confirmação para suas próprias sensações, afinidades, pressentimentos...
Poderia ser?
Mas então eu tento (porque a maioria é tão ruim ou pior do que tentar ler a saga Crepúsculo) e me pergunto se a pessoa que me mandou aquilo não percebe que a mensagem é exatamente igual a do mês passado, da semana passada, do ano passado... E se realmente buscar um começo pra esse discurso, a gente chega a 1987, ano da Convergência Harmônica. Muitas vezes inclusive a mensagem tem data, lá embaixo em letras minúsculas, de 4, 5 até 6 anos atrás e a pessoa – maravilhada com a sincronicidade – não percebeu que provavelmente ela mesma já tinha lido, tempos atrás a mesma mensagem.
É lamentável que pessoas supostamente cultas percam seu tempo lendo mensagens supostamente atribuídas ao Arcanjo Miguel e Mãe Maria, dentro tantos outros menos conhecidos, incluindo a lastimável vertente ‘falecidos famosos desencarnados’ ou, pior ainda “parentes de celebridades desencarnados” que obviamente parecem nada ter de melhor a fazer do que ecoar eternamente a mesma ladainha:

Transição planetária,
Mudança de DNA,
Portal do dia 00/00/00,
Energias do eclipse de data tal que ocasionará uma SUPERMEGATRANSFORMAÇÃO (que curiosamente ninguém vai notar!)
Mas que também não tem importância, porque VOCÊ, TRABALHADOR DA LUZ, está encarnado aqui e agora nesse espaço tempo para agir como facilitador das energias da transformação, então basta que você SE CONECTE NA DATA E HORÁRIO XPTO E FAÇA A MEDITAÇÃO DA CENTOPÉIA CONTEMPLATIVA que você já estará fazendo a sua parte e cumprindo o seu destino!

Se você teve algum ‘acesso’ durante essa prática, então isso confirma que você é um de nós (ou melhor, um DELES!) e logo se lembrará com mais clareza de sua família siriana, pleiadiana, marciana, venusiana ou... peraí! Mas se você disse Alpha-Draconis... Hum... isso pode ser um pouco problemático e você precisará de alguém para lhe retirar um chip! Uma espécie de dispositivo que está controlando a sua mente, seu corpo e o impedindo de ser feliz e um ser operante na Luz e no Bem. Também pode ser a causa da sua impotência o frigidez... ou do seu vício em pornografia. E também daquela cirrose e do HPV. Ah, e também é por culpa dele que você fuma, briga com sua mãe e não consegue desenvolver plenamente seus dotes paranormais. Mas não tema, logo você estará alinhado com o local perfeito onde sua família cósmica o espera para darem início a sua missão, de cujo êxito dependerá a ocorrência ou não do Apocalipse.
“Isso ressoou com você? Então é um bom sinal!”

Pior é quando o suposto canalizador assina como “canal exclusivo do Arcanjo Miguel” ou de outra entidade, como se ninguém mais no planeta tivesse capacidade vibracional para acessar ou melhor, para ser acessado, por um ser de alta estirpe(?).
As pessoas não percebem que isso é tão ridículo quanto se afirmar:

“Moisés: canal exclusivo de Deus”
“Maomé: a voz de Alá”

Ou Jesus, que aparentemente foi clonado por um rapper que adora pseudônimos porque sua predileção é assinar como Jeshuá, Yeoshuá, Sananda, etc e bater sempre na mesma tecla (pun intended).
É joio demais pra muito pouco trigo.

Se tais comunicações fossem verdadeiras, teríamos que admitir que as entidades de luz que mais amamos e nas quais confiamos e respeitamos, são extremamente narcisistas, dedicando seu tempo a enviar mensagens repetitivas, para obter alguns minutos da atenção dos mortais, que as lêem entre um e-mail e outro, ansiosas por um clic no botão CURTIR do Facebook ou de um Coment mais empolgado, revelador da Fé na sua transmissão.
E, por favor, não venha me dizer que as mensagens são repetitivas porque ainda não aprendemos o básico, porque nesse caso seremos forçados a concluir que a pedagogia do Além é mais precária do que da Escola Pública no nosso país!

Como postulou Kardec: FÉ RACIOCINADA é fundamental, ainda que ela propriamente transcenda o meramente intelectual!

A questão é: o exagero e a falta de bom senso a serviço da vaidade, da mistificação, do animismo, da idolatria, do falso-profetismo e do mercantilismo da Fé.

O desenvolvimento da mediunidade não ocorre da noite para o dia, e requer cuidados, acompanhamento, estudo e reforma íntima, principalmente, para que não venha o médium, ou aquele que o deseja ser sem contudo sê-lo, por considerar a mediunidade um sinal de status superior, ou uma forma de obter a atenção dos outros ,  expondo não somente a si mas também aos seus irmãos a enganos terríveis e às funestas consequências do falso-profetismo.

Para provar que não estou de má vontade com o fenômeno da canalização e nem com os canalizadores, acrescento à postagem a pesquisa abaixo, pois sempre defendi que esse termo era uma má-interpretação, um problema de tradução do inglês.

Não se diz, na língua inglesa, que alguém está ‘incorporado’ ou ‘possuído por um espírito’ no mesmo contexto que se diz aqui, porque o primeiro termo – incorporated – é restrito ao Business English, ou seja vocabulário do mundo dos negócios, usado para falar de companhias que foram ‘incorporadas’ por outras, e possessed é muito pesado, dá uma idéia de possessão demoníaca, algo no estilo do filme O Exorcista.
Precisamos lembrar que Allan Kardec era francês e as barreiras idiomáticas não ajudaram a popularizar nos Estados Unidos e na Inglaterra nem os conceitos nem o vocabulário ao qual estamos acostumados no Brasil através do espiritismo. Lá a coisa funciona de um modo muito diferente, inclusive ‘cobrado’ e ninguém acha que isso é pecado, pois a mediunidade é vista como um talento ou habilidade que a pessoa pode cobrar para usar em favor de outrem como outro qualquer.

         O termo ‘channeling’ serviu para eles designarem algo que para nós já era conhecido como psicofonia, incorporação ou psicografia intuitiva.

Veja por si mesmo:
 incorporated used after the name of a company in the US to show that it has become a corporation
channelling a practice based on the belief that dead people can communicate with living people by making their spirit enter a living person's body and speaking through them

possession
6 (sexta significação)evil spirits [uncountable] a situation in which someone's mind is being controlled by something evil: Descrição: http://www.ldoceonline.com/images/678/entry/pronsentencea.gifWas it a case of demonic possession?
Fonte: Longman Dictionary of Contemporary English

Além disso, na Wikipedia, encontramos a definição de escrita automática ou psicografia. O primeiro termo era mais comum antes do advento do vocábulo channeling para designar a ação de escrever por ação espiritual.

Automatic writing or psychography is writing which the writer states to be produced from a subconscious and/or spiritual source without conscious awareness of the content.
Spiritual Automatic Writing
In spiritism, spirits are claimed to take control of the hand of a medium to write messages, letters, and even entire books. Automatic writing can happen in a trance or waking state. [2]
Psychophony (from the Greek psyke, soul and phone, sound, voice) is the name given by Spiritism and some other spiritualist traditions to the phenomenon where, according to them, a spirit talks using the voice of a medium.
Spiritist Doctrine as codified by Allan Kardec identifies two main classes of psychophony, to say, the "conscious" one and the "unconscious" one. The first one, as its name says, happens when the medium assures that he has mentally perceived or physically heard something that a spirit said, having only used his voice to reproduce it. The second one occurs when the medium assures that he ignores what was said, suggesting that a spirit used his phonetic organs while he was unconscious. As happens with all sorts of classification, this one is useful only for didatic purposes. Most psychophony occurrences are neither 100% conscious nor 100% unconscious laying somewhere between the two classes.

Para quem sabe inglês, será interessante ler o post completo do Wikipedia sobre Mediunidade, ou Mediumship. Há uma explicação para as variedades mentais da mediunidade, chamada Mental Mediumship, quando ocorre comunicação telepática e o médium vê, ouve ou ‘sente’ mensagens dos espíritos. O transe é também considerado uma forma de mediunidade mental, no qual o receptor da mensagem permanece consciente enquanto os espíritos se utilizam de sua mente para passar uma mensagem, e embora ele precise deixar o ego de lado para dar passagem fluida às idéias de que se faz veículo, é sabido que suas próprias opiniões podem influenciar no conteúdo.

 

Nas décadas finais do século 20 finalmente chegamos a definição de Canalização, como resultado de uma classificação dividindo os médiuns comuns, geralmente chamados psychics ou sensitives, que trabalham muitas vezes como clarividentes, ou fazendo leituras oraculares, dos channelers, que se comunicariam com entidades mais elevadas, anjos ou extraterrestres. Fica claro que o que está descrito abaixo sempre foi conhecido entre nós no Brasil pelo nome de Psicofonia ou Incorporação, visto que a estirpe da entidade comunicante não faz diferenciação na nomenclatura do fenômeno.

The other incarnation of non-physical mediumship is a form of channeling in which the channeler goes into a trance, or "leaves their body". He or she becomes "possessed" by a specific spirit (spirit possession), who then talks through them.[18] In the trance, the medium enters a cataleptic state marked by extreme rigidity. As the control spirit takes over, the medium's voice may change completely. The spirit answers the questions of those in its presence or giving spiritual knowledge.
Ainda da Wikipedia, temos a definição em língua portuguesa dos mesmos fenômenos:

Psicografia (do grego, escrita da mente ou da alma), segundo o vocabulário espírita, é a capacidade atribuída a certos médiuns de escrever mensagens ditadas por Espíritos.
Conceito: Segundo a doutrina espírita, a psicografia seria uma das múltiplas possibilidades de expressão mediúnica existentes. Allan Kardec classificou-a como um tipo de manifestação inteligente, por consistir na comunicação discursiva escrita de uma suposta entidade sobrenatural ou espírito, por intermédio de um homem.O mecanismo de funcionamento da psicografia, ainda segundo Kardec, pode ser conscientesemi-mecânico ou mecânico, a depender do grau de consciência do médium durante o processo de escrita.No primeiro caso, o menos passível de validação experimental, o médium tem plena consciência daquilo que escreve, apesar de não reconhecer em si a autoria das ideias contidas no texto. Tem a capacidade de influir nos escritos, evitando informações que lhe pareçam inconvenientes ou formas de se expressar inadequadas. 
No segundo, o médium poderia até estar consciente da ocorrência do fenômeno, perceber o influxo de ideias, mas seria incapaz de influenciar o texto, que basicamente lhe escorreria das mãos. O impulso de escrita é mais forte do que sua vontade de parar ou conduzir voluntariamente o processo.No terceiro caso, o mais adequado para uma averiguação experimental controlada, o médium poderia escrever sem sequer se dar conta do que está fazendo.Além da doutrina espírita, há várias correntes místicas e religiosas que admitem a possibilidade da ocorrência desse fenómeno, como a Umbanda e a Teosofia.

Psicofonia: Psicofonia (do grego psyké, alma e phoné, som, voz), de acordo com a Doutrina Espírita, é o fenômeno mediúnico no qual um espírito se comunica através da voz de um médium.A Doutrina Espírita identifica duas classe principais de psicofonia:

§       a consciente - quando o médium afirma ter percebido mentalmente ou escutado uma fala proveniente de um espírito que desejava se comunicar, tendo-a reproduzido com o seu aparelho fonador; e
§       a inconsciente ou sonambúlica - quando o médium afirma não saber o que disse, fazendo entender, neste caso, que o espírito comunicante ter-se-ia utilizado diretamente de seu aparelho fonador, por estar ele, médium, inconsciente.Allan Kardec, em O Livro dos Médiuns chama os médiuns psicofônicos inconscientes de médiuns falantes.
Infelizmente canalização no nosso país virou uma desculpa para se falar qualquer abobrinha com o aval de ter sido sintonizado do Além, de um ser superior, do Plano Astral, e principalmente do Ashtar Sheran (que seria um mix de He-Man com Capitão Kirk, e ainda mais: uma outra denominação para o Arcanjo Miguel).

Pense bem onde você deposita sua Fé. Estude e pesquise para não cair na balela de qualquer um que tenha boa lábia. E sobretudo não permita que a sua ansiedade existencial e sua boa vontade e predisposição para ACREDITAR suplantem o seu senso crítico e a sua capacidade de fazer uma análise mais aprofundada daquilo que ora lhe apresentam, seja numa palestra, num texto, num livro, num power-point.

O fato de ser LINDO, não significa que seja verdadeiro.


Para quem ainda tem dúvidas sobre o assunto recomendo a leitura dos artigos abaixo:
Artigo de Roberto S Ferreira no site da Revista UFO http://www.ufo.com.br/artigos/canalizacoes-de-ets-nao-sao-confiaveis
Dois textos para entender melhor o fenômeno: Importante texto de James Alcock para entender como surgiu essa ‘moda’ da canalização:http://ateus.net/artigos/ceticismo/canalizacao-contatos-com-o-alem/O que é e como Funciona a Canalização, de Regina Giannetti:http://www.salves.com.br/recanalizhow.htm