sexta-feira, 6 de novembro de 2015

O Boiadeiro Zé do Laço



Já contei no livro "A História de Pai Arruda" sobre como fui parar na Umbanda vinda de diversas experiências em outras filosofias e religiões, mas para resumir, meu conhecimento, e também interesse para ser sincera, na Umbanda era mínimo, eu estava feliz seguindo um caminho solitário no Druidismo.
Então um dia eu incorporei o boiadeiro Zé do Laço.
Foi a primeira vez que incorporei. Eu mal sabia o que era um "boiadeiro". Eu não tinha ideia do porque ou como aquilo estava acontecendo.
Mas eu soube de imediato uma coisa: aquele ser que tinha se aproximado, com intensidade porém cuidado, emanava energias calorosas, alegres e muito amorosas.
Num primeiro momento ele se identificou mostrando seu local de trabalho, o cerrado, falou que era filho de Sant'Anna, e mostrou uma vida severa como de tantos trabalhadores rurais, mas eu percebi que ele tinha uma sabedoria incomum para um espírito que tivesse sempre tido 'vidas simples'. Era patente que ele trazia um conhecimento de um espírito que já havia estudado assuntos intrincados da alma, sobre Teologia e os Mistérios da Vida.
Um dia ele me disse que havia estudado filosofia, e um dia me contaria.
Esse dia chegou no último livro da série "Paralelas da Umbanda", depois do livro I, sobre os Baianos - que foi uma experiência muito curiosa, especialmente para mim, que não tenho tanta afinidade com a linha - e do livro II sobre os Marinheiros, sobre o qual falarei outro dia e que é uma história muito, mas muito inusitada mesmo!
Quando soube que escreveria a história dele, eu fiquei muito entusiasmada e feliz, porque, a verdade é que embora a maioria dos médiuns ame todas as entidades com as quais trabalha, assim também amo todas as que trabalham comigo, mas o Zé... Bem, o Zé tem mesmo um lugar especial no meu coração. Ele me tira do meu lugar-comum. Mas não apenas eu sou fã dele.
Todos que o conhecem se encantam com sua simpatia, bom humor e alegria, então, foi realmente uma surpresa descobrir que a história dele, a mais relevante, que foi quando ele deu um "salto quântico", por assim dizer, foi uma vida muito difícil, que eu jamais imaginaria que ele tivesse passado.
Ao fim dos três livros, definitivamente Boiadeiros foi o mais difícil de escrever, pelo teor da história, emocionalmente falando, e principalmente pelo teor filosófico das conversas entre o personagem e um mestre filósofo, que exigiram incrível concentração, e desafiaram meu próprio entendimento da lógica compartilhada por tutor e discípulo naquele desfecho marcante da história.
Se você gostaria de ler uma história diferente sobre Baianos, Marinheiros e Boiadeiros, posso recomendar sem medo todas as histórias da série "Paralelas da Umbanda".
Agora se você espera ler histórias tradicionais, 'mais do mesmo', sinceramente, não compre! Você com certeza irá se arrepender!
Essa série é para quem compreende que as entidades que trabalham conosco em qualquer caminho da espiritualidade não são lineares nem sujeitas à nossa interpretação bidimensional delas: elas têm sua própria história, multidimensional, da qual só nos é dado conhecer uma pequena parcela.
"Toda renda obtida com os direitos autorais será revertida para entidades de proteção aos animais."

DIÁLOGO ENTRE O BOIADEIRO ZÉ DO LAÇO E UM MESTRE ÓRFICO



DIÁLOGO ENTRE O BOIADEIRO ZÉ DO LAÇO E UM MESTRE ÓRFICO
" 1 - Enfrentar a dor de frente, sim, é preciso.
2 - Aceitar ajuda para se recompor, o mais rápido possível e contar com a compreensão dos outros e de si mesmo para se entender na fragilidade, o caminho da aceitação.
3 - Seguir adiante buscando novos sentidos para empenhar o coração: o caminho da superação.
- Vejo que a vida lhe ensinou bem, Albano, e o mais importante, o seu olhar não se desviou dessas lições em atenção – sorriu-me o mestre. Ainda assim a imensa maioria dos seres humanos espera que suas ‘boas ações’ estejam bem anotadas e contabilizadas no Livro da Vida, e quando algo acontece, que lhes pareça injusto, sentem-se lesadas, como se Deus mesmo lhes roubasse a Fé que n’Ele um dia tiveram. “Eu não merecia” ou “essa ou aquela pessoa...”, “meu filho..., minha esposa... não mereciam aquilo que lhes sucedeu”. Bem, podemos não saber ao certo qual a natureza de Deus, mas uma coisa podemos afirmar com bastante afinco: Ele ou Ela não é um cobrador de impostos. Nossos feitos, bons ou ruins, podem muito bem estar anotados no Livro da Vida, ou na Malha Cósmica do Éter Universal, que é o termo que usamos no nível mais avançado dos nossos estudos, mas o conceito de uma divindade que age como um comerciante que de nós recebe ou nos paga em moedas de ‘bem feitos’ ou ‘mal feitos’, como se as benesses da vida fossem mercadorias, essa ideia de um Deus ‘negociante’ que subitamente nos lesa, ignorando nossos ‘investimentos na Sua empresa’ é decididamente um atraso interpretativo que nos conduz à revolta e ao afastamento, como consequência, da compreensão das Leis que Regem os Universos.
- Então Deus não intervém? Não toma partido?
- Essa é outra questão que discutiremos outro dia e que discorre sobre os interesses e formas de atuação divinas, quando estudamos casos em que indiscutivelmente se observa a intervenção daquilo que consideramos a Fonte Original Criadora agindo de forma sobrenatural sobre o mundo e suas criaturas. Mas aquilo que você questiona é a dor e o sofrimento que não é causado por essa Fonte Desconhecida e Misteriosa, muito pelo contrário, suas causas são muito conhecidas e têm origem nos interesses, desejos, vícios, medos e toda sorte de aspectos dissonantes da personalidade humana. Não é lógico imputar a Deus culpas pelos feitos de outrem, ainda que seja lícito questionar sua participação nos feitos de suas criaturas. Questionamos nesta escola se através de vidas sucessivas, os erros e injustiças praticados contra uns sejam reparados em outra encenação com diferentes personagens mas mesmos atores; questionamos se aquilo que chamamos de ‘desgraça’ possa se transformar, com o passar do tempo e a sublimação das dores, em ‘graça’ em algum momento, pela participação conjunta do Destino intermediando o jogo de livres-arbítrios humanos. Questionamos todas as variáveis do usufruto que Deus tem através das particularidades de suas criaturas. Não sei se você é capaz de me acompanhar..."

Cuidado com suas Certezas

Quando estava no kardecismo ouvia coisas como:

"Espírito de luz não precisa de elementos materiais para trabalhar"

"Espíritos de Índios e Caboclos são responsáveis pela limpeza e defesa dos trabalhos no centro espírita"

E outras pérolas que todo umbandista que já teve o desprazer de ouvir de pessoas que desconhecem totalmente a Umbanda como ela verdadeiramente é, assim como suas entidades.
Mas e quando as "certezas" vêm dos próprios umbandistas?
Quantos irmãos de fé se arvoram de donos da razão ao criticar os hábitos e crenças daqueles que frequentam um terreiro de costumes e tradições um pouco diferentes daquelas em que aprendeu a praticar a Umbanda?
Todos temos direto à opinião própria, e sim, infelizmente vemos abusos em todos os lugares, não só na Umbanda. Rituais e pseudo-saberes estão sendo passados adiante, até mesmo entre líderes supostamente cultos e intelectuais, de movimentos espiritualistas, esotéricos e universalistas, o que justifica que mantenhamos todos os sentidos ligados e o bom senso à toda.
Faço porém, uma ressalva: lembre-se de que os verdadeiros fundamentos da Umbanda ou de qualquer Verdade Espiritual não estão na Terra, aqui temos apenas reflexos.
Não importa o título, os diplomas, nem mesmo os anos, décadas de casa aberta e prática umbandista ou de outra denominação: você, meu irmão, minha irmã, será sempre um funcionário da espiritualidade, nunca um proprietário.
Cuidado ao decretar aquilo que pode ou não existir dentro da Umbanda ou dentro da Espiritualidade: você não esteve em todos os portos do mundo, em todos os terreiros do mundo, em todos os vales e florestas, não viveu todas as experiências disponíveis deste mundo.
É muito fácil dizer, com relativa margem de certeza: "Não existe marinheira nem boiadeira na Umbanda!", porque você nunca viu ou porque alguém em quem você confia dentro do culto assim lhe ensinou.
Porém de fato, existiram até mulheres piratas! Poucas, é verdade, mas existiram e uma busca na Wikipedia conta suas histórias para quem se interessar. Veja as mais famosas aqui:http://www.megacurioso.com.br/historia-e-geografia/46764-conheca-as-historias-de-5-piratas-mulheres.htm

Existia uma lenda de que mulher à bordo trazia azar para as embarcações, mas há relatos de mulheres tripulando navios de bandeira russa durante a Segunda Guerra Mundial e mais: mulheres imediatas em 1851!
Quantos marinheiros ensinaram suas filhas a levar a vida, por falta de opção, numa embarcação? Poucas? Não se sabe o número exato dessas mulheres que viveram sua vida no mar, mas que elas existiram, é certo, pois na vida vemos que de tudo existe.
O mesmo vale para as mulheres que tiveram de aprender a lidar com gado, conduzir cavalos e viver uma vida agreste. Hoje se você for ao pantanal, verá mulheres boiadeiras e muitas! Por que acreditar que no passado elas não existiram? Por que não há registro?
Meus irmãos: não há registros sobre praticamente nada que as mulheres tenham feito no passado, a não ser que tenham sido filhas, mães, esposas ou amantes de um homem importante, cuja história tenha sido registrada devidamente - por um homem.
A necessidade faz com que o ser humano faça aquilo que necessita para sobreviver; sendo a mulher um ser humano, e tendo executado as funções de mãe prioritariamente na maioria de suas experiências encarnatórias, provavelmente essa mulher, não tendo um homem que a protegesse e sustentasse, executaria qualquer função necessária para pôr comida à mesa.
São exceções? Bom, mas fato é que basta uma para que as certezas estejam desatualizadas, não é mesmo?
Durante as psicografias da série Paralelas da Umbanda, eu recebi comunicações de uma mulher que trabalhava junto à falange do Zé do Laço, assim como de uma moça que passou sua vida dentro de um navio em séculos passados, junto a seu pai, sendo respeitada por todos os marinheiros pois fora criada entre eles.
Portanto, se há algo que eu aprendi, é que TUDO PODE, SIM.
O que precisa é se verificar se "é o caso".
Mas tudo pode acontecer. Independente da minha opinião, da sua, do que fulano ou beltrano ACHAM que é válido ou não.
A Espiritualidade sempre irá nos surpreender.
E ainda bem que é assim.
Nas próximas postagens compartilho um pouco mais das minhas experiências com as Linhas Secundárias. 

Siga a Página "https://www.facebook.com/Amor.Magia.Destino/?ref=aymt_homepage_panel" no Facebook para receber postagens diárias.
Jennifer Dhursaille

A Série de Livros "Paralelas da Umbanda" é composta dos livros:
1-Baianos
2- Marinheiros
3- Boiadeiros
Disponível para compra no formato digital no site da Amazon, sendo a renda dos direitos autorais totalmente convertida para Entidades de Proteção aos Animais.

https://www.amazon.com.br/s?_encoding=UTF8&field-keywords=Paralelas%20da%20Umbanda%20Livro%20II%20Marinheiros%3A%20Hist%C3%B3rias%20de%20Baianos%2C%20Marinheiros%20e%20Boiadeiros%20(Portuguese%20Edition)&node=5308307011

A Série de Livros Paralelas da Umbanda



As Linhas  Secundárias da Umbanda


                Esta série de livros, psicografados entre 20/07/2011 e 04/01/2015 apresentam uma história principal mais longa sobre cada Corrente de Trabalho Secundária e, no caso do livro I – Baianos, e no livro III – Boiadeiros, algumas psicografias mais curtas, de autorias diversas.

                São chamadas Linhas ou Correntes de Trabalho Secundárias da Umbanda aquelas que não são as 3 primárias (Caboclos, Pretos-Velhos e Crianças) nem Esquerda (Exus e Pombogiras), e são considerados por alguns intermediárias entre esses dois polos.

                Nessa categoria se encontram os Baianos, Marinheiros, Boiadeiros e Ciganos (que serão tratados em outro livro), porém na medida em que a Umbanda amadurece e se expande novas ramificações surgem e outras frentes de trabalho espiritual podem emergir. Um agrupamento de espíritos se une para trabalho conjunto norteados pelos mesmos ideais, objetivos e métodos de trabalho.

                Os Baianos se caracterizam por demonstrarem quando em terra trejeitos e vocabulários típicos do povo da região nordeste do Brasil; muitos alegam ter sido quando em vida sacerdotes ou praticantes de cultos de origem africana ou da pajelança, como Catimbó, Jurema e Xangô.

                Os Boiadeiros, como o próprio nome já indica, apresentam o arquétipo do ‘cowboy’, do homem trabalhador do campo, habituado a lida com os animais e o pastoreio, e são muito famosos pelo uso do ‘laço’ com o qual trabalham no astral, livrando aqueles que procuram sua ajuda de demandas e obsessões, assim como conduzem seus ‘filhos’ não lhes deixando fugirem dos caminhos que lhes são devidos.

                Os Marinheiros são uma falange que trabalha junto ao Povo d’Água, na vibração de Iemanjá, e auxiliam muito na limpeza do terreiro e da assistência, além de cuidarem de assuntos que lhes são próprios como especialistas na vida marinha, caiçara e nos mistérios que competem à junção de terra e mar. Muitos os têm por bêbados por pedirem álcool para trabalhar quando chegam em terra, mas assim como nas demais correntes de trabalho que também fazem uso do álcool e do fumo, este é um item de limpeza, necessário para o trabalho e um estabilizador, nivelador vibratório que somente deve ser reprimido quando o médium manifestar ingerência de seus próprios vícios, contabilizando a entidade pelos seu descontrole.

                Em todas as linhas secundárias, as entidades caracterizam-se por dar consultas em que sua alegria, dinamismo e solidariedade para com as questões mundanas levadas a eles por seus assistidos são contagiantes. Sempre têm um conselho de ordem prática que oferecem com bom humor e quando necessário fazem trabalhos utilizando os elementos próprios de seus domínios vibratórios.

                Nos livros II e III acredito que os leitores se espantarão pelas narrativas não-convencionais.

                O marinheiro que contou sua história era um velho capitão irlandês, e sua história não trata de assuntos que tipicamente se imagina relacionados à Umbanda, como viagens multidimensionais e ufologia.

                Da mesma forma, muitas vezes ouvi dizer que a maioria dos boiadeiros não gosta de falar, entretanto Zé do Laço, entidade responsável por me conduzir à Umbanda, sempre conversou muito e discorria sobre assuntos que não se espera de um simples homem do campo. Certa vez me dissera ter sido um filósofo no passado.

            Nesta história ele me conta sobre uma de suas vidas, o que para todos que tiveram oportunidade de conhecê-lo se revelará um contraste: como a mais alegre entidade com quem trabalho teve uma história de vida tão oposta ao que se espera de uma pessoa que está sempre de bem com a vida?

                Assim como eu muito aprendi com todas as entidades que se manifestaram nos três livros da série “Paralelas da Umbanda”, eu espero que você, leitor, possa também usufruir da viagem que a leitura proporciona, mas especialmente, que não espere encontrar aqui ‘mais do mesmo’.

                Em nenhum desses três livros você encontrará o que já ouviu falar sobre Baianos, Marinheiros e Boiadeiros. Muito pelo contrário, o mais provável é que você fique com a impressão de que não leu um livro sobre Umbanda.

                De fato você não lerá um livro especificamente sobre Umbanda: mas sobre espíritos que se propõem a compartilhar uma janela de suas experiências milenares ao longo do tempo. Mas uma janela muito especial: uma que permite vislumbrar um momento único onde eles alcançaram o que podemos denominar em linguagem atual de “salto quântico”.  

                Hoje esses espíritos continuam a trabalhar pela evolução das consciências humanas – e são muito pouco afeito a rótulos. Eles não são “espíritos de Umbanda”, mas sim espíritos livres que trabalharão onde puderem auxiliar, seja no Kardecismo, na Fraternidade Branca, na Umbanda, ou ainda anonimamente. Ainda que respeitem os ritos dos lugares que lhes oferecem oportunidades de trabalho, eles não estão presos a fórmulas de trabalho, e seu foco é na mensagem e no serviço de caridade ao próximo que possam realizar.


Salve o Grande Oriente
Salve a Umbanda de Oxalá
Salve Todos os Orixás!
Salve Todas as Falanges que Trabalham na Umbanda!


segunda-feira, 19 de outubro de 2015

ANGELE DEI - A ORAÇÃO QUE NÃO FALHA



A ORAÇÃO QUE NÃO FALHA
~*~curta nossa página no facebook https://www.facebook.com/Amor.Magia.Destino e tire suas dúvidas sobre Espiritualidade~*~
Tema da Semana: "OS ANJOS"
Apesar de espiritualista, confesso que tinha um hábito terrível no qual tive que trabalhar muito para eliminar: a preguiça de orar.
Eu sei que é ridículo, mas a verdade é que minha tendência para orar somente nos dias de trabalhos espirituais ou quando havia uma necessidade premente era norma.
Não que não houvesse necessidade - na verdade sempre havia, e muita! Justamente por isso eu hesitava em pedir a intercessão contínua dos anjos ou dos espíritos superiores para situações que eu no fundo achava que não eram minha responsabilidade resolver, embora elas me afetassem.
Hoje percebo que havia uma mistura de pensamentos que me levavam a essa atitude:
1- Senso crítico que me dizia que não era 'justo com os anjos ou seres superiores' serem incomodados com questões por demasiado 'humanas' no meu julgamento; eu acreditava que somente casos graves, como saúde, requeriam a intercessão dos seres de luz
2- Aversão a maioria das orações prontas - sempre preferi orar conectando meu espírito ao Alto, deixando que as palavras viessem naturalmente do coração em forma de oração única e sentida emocionalmente e não só racionalmente
3- Medo de perder a fé, caso a situação não fosse atendida
Esse último item era derivado do fato de embora eu ser ainda muito jovem perceber que os problemas que me cercavam eram culpa dos humanos e suas atitudes, então quando me mandavam orar para melhorar eu no fundo achava que não era certo, e não sentindo ânimo para fazer a oração-sentida-no-fundo-da-alma como expliquei no item 2, eu temia fazer orações 'protocolares' e acabar por me sentir abandonada quando elas não fossem atendidas (e eu tinha certeza de que não seriam porque não acreditava que as questões fossem ser solucionadas passivamente, aguardando somente a intervenção divina).
As orações eram, para mim, como os banhos, as defumações e os preceitos que fazemos para nos preparar para o dia em que as funções espirituais têm lugar.
No dia-dia, eu me recusava a permitir que elas tivessem espaço, teimando em resolver eu mesma os problemas na medida em que apareciam.
Até que 'fui obrigada' como parte do treinamento druídico a orar diariamente. Querendo fazer ' a coisa certa ' decidi não pedir por nada, apenas agradecer, seja lá o que fosse no dia, por mais que o dia tivesse sido ruim, eu ainda tinha a natureza, os animais, os 4 elementos, o trabalho, a minha oportunidade de servir e evoluir e a todo Amor dado e recebido para agradecer.
E assim foi que consegui por fim manter a regularidade e estabelecer uma rotina de orações que me deram ancoragem para enfrentar as dificuldades diárias e um senso de direção mais fácil nos momentos em que o coração falseia e o amargor tenta tomar conta.
Eu nada pedia, somente agradecia.
Então um dia precisei pedir.
Lembrei-me da oração que jamais me falhou, a do Anjo da Guarda, aprendida há décadas, após uma preleção em que nos foi contado que Santo Agostinho dizia que jamais uma pessoa pedindo a intercessão de seu anjo da guarda, de uma orientação ou resposta a uma dúvida, deixará de ser ouvida.
Ás vezes o recurso que está mais perto nos é negligenciado. Meu anjo me deu não somente as respostas em forma de sonhos, como mesmo acordada, sem me permitir duvidar. Aliviou meu coração e me deu o sentido onde a bússola deveria seguir.
Hoje a Deus só agradeço e todas as dúvidas peço a meu Anjo Guardião que me oriente.
Mesmo quando faço a leitura de oráculos ou mapas sobre a missão de vida de alguém, sempre pelo a orientação do Anjo da Guarda da pessoa para poder transmitir o conselho certo, pois ninguém melhor do que ele para orientar a pessoa na direção correta.
Você pode nunca talvez precisar de um mapa astral, de uma consulta de tarot ou de baralho cigano, mas sempre irá precisar de uma orientação na sua jornada de vida. Quando esse momento chegar, não hesite.
Ore.
Peça a intercessão e uma resposta ao seu Anjo da Guarda.
Essa Fé não Falha jamais!
Com amor e gratidão ao meu Anjo da Guarda

Angele Dei é rezada desde 1111 por crianças do mundo todo.

Jennifer Dhursaille

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Família: OÁSIS ou ARENA? - parte 4 - Pais e Filhos


FAMÍLIA: OÁSIS ou ARENA
4ª postagem da série sobre Problemas Familiares
~*~Curta nossa Página https://www.facebook.com/Amor.Magia.Destino e não perca a sequência~*~

OS PAIS  X OS FILHOS parte 2/2

Achei por bem dividir essa postagem em 2 partes: uma dedicada aos pais e outra aos filhos, embora acredito que todos se beneficiarão de ler as duas partes.

Agora me dirigirei aos Pais:

Pode ser que você tenha lido o texto da postagem número 3 e se identificado com muita coisa que você tenha passado. Se for o caso, vale a pena refletir sobre o quanto o seu relacionamento com seus pais, interfere no que você vive com os seus filhos.

Eu sei que não dizemos a eles o quanto de decepção e frustração eles nos causam muitas vezes. E fazemos isso por causa do nosso AMOR por eles.

Se você é mãe, imagino o quanto dói ouvir uma palavra dura de alguém que um dia foi um serzinho que se criou dentro do seu corpo, lhe trouxe todo tipo de desconforto, dor e mal estar por mais de nove meses, que não permitia comer, dormir, relaxar ou ter tempo para você durante um bom número de anos...
Nem adianta falar, eles jamais entenderiam.... Não é só ingratidão, imaturidade, falta de experiência. É IMPOSSIBILIDADE mesmo. Porque quem passou por isso FOI VOCÊ, não eles.

Independente do quanto a maternidade tenha sido algo positivo ou não para você, essa experiência é valiosa pois te ensinou muito a respeito de si mesma! Suas potencialidades, seus medos, sua capacidade de ser mil em uma, destreza e agilidade no gerenciamento de vidas que dependem de você é uma habilitação preciosa, queira você repetir a experiência ou não.

Então, agradeça se você tem a oportunidade de ser pai/mãe. Essa é uma escola com cursos  exigentes e reveladores. Sobre você mesmo, antes de mais nada, sobre seu parceiro em segundo lugar,  e sobre o mundo e as pessoas em geral.

Dificilmente a criação de filhos se sai como alguém imaginou. Ou é muito mais ou é muito menos do que a pessoa tinha de expectativa a respeito.

Seus filhos não vieram ao mundo para realizar os seus sonhos, mas sim os deles. 
Se vocês puderem, ajudem-nos. Se não, não os atrapalhem que já está de bom tamanho.

Ah, e por favor não digam que vocês não tiveram isso com os pais de vocês, que a sua vida era mais dura, que vocês tinham responsabilidades maiores... Deus mandou nada um no tempo e na geração que precisava, mas a capacidade de EVOLUIR ultrapassa o tempo, a cultura, as regras estabelecidas.
Não tenha medo de aprender com seu filho. Eles são sempre grandes professores, seja do que você quer aprender ou não.

SE você é pai/mãe: seus filhos não vieram ao mundo com nenhum débito com relação a vocês, mas o contrário é verdadeiro. Vocês devem ao ser que trazem ao mundo a proteção, a nutrição, a compreensão e o estímulo para que eles cresçam aprendendo a conhecer o próprio valor e a própria capacidade. Agir em contrário a isso é infringir crime de “Lesa Individualidade”.

Se você é mãe ou pai solteiro, separado ou viúvo, tenha o cuidado de não priorizar sua vida amorosa em detrimento do seu filho. Você tem direito de reconstruir sua vida e ser feliz, mas antes você assumiu um compromisso perante a Fonte Criadora quando gerou uma criança, sendo isso voluntário ou involuntário da sua parte, e se o seu filho ou filha sentir que não é sua prioridade ele se ressentirá demais disso, e será infeliz. Seu filho infeliz equivale a você infeliz também. E não digo isso num tom piegas não, digo porque mesmo que você não se importe quanto o que pensam seus filhos da sua vida íntima e amorosa, eles lhe demonstrarão isso de formas variadas, seja boicotando seus namoros, tratando mal seu companheiro, fazendo “malcriações” na frente de familiares e amigos, e até mesmo vindo a se tornar um impedimento real aos seus relacionamentos.

 Um filho seguro não se importa que os pais dividam seus afetos com outras pessoas. Essa é uma conquista a ser trabalhada por parte de cada pai e de cada mãe. Com alguns filhos é mais rápido e com outros mais trabalhoso; não importa: esse é seu trabalho, se não fizer será cobrado por isso.

Além disso, depois da maternidade/paternidade você não tem mais nem desculpa nem o direito de se comportar como adolescente, seja na vida de um modo geral, com atitudes irresponsáveis, como principalmente na vida amorosa.
 Pai e Mãe é vigiado em cada ato e cada palavra pelo filho 24h por dia, e eles serão seus piores juízes, porque se miram em você para buscar um exemplo a seguir, e não encontrando esse exemplo, como no caso em que os filhos tem a infelicidade de perceber muito cedo que a mãe escolhe homens reprováveis como parceiros amorosos, das duas uma: ou você cai na descrença do seu filho/filha, que passa a perceber que não tem uma pessoa confiável em quem buscar orientações perante a vida, ou no futuro vai ter de conviver com escolhas ainda piores  que seus filhos farão na vida amorosa deles  seguindo o seu exemplo, e que com certeza vai refletir em você e nos seus netos, filhos deles.  

Enfim, vira um círculo vicioso de maus exemplos de gerenciamento da vida em família – com você sendo o responsável por ter iniciado o ciclo!
Tá muito difícil lidar com tanta exigência pra ser pai e mãe?
Da próxima vez pense duas vezes antes de se matricular nessa escola, pois sim, ela é uma das mais exigentes da Vida.

Se você é pai/mãe saiba por outro lado reconhecer que seu filho/filha não é um anjo de pureza e candura, que ele tem defeitos e precisa E MUITO de freio, limite, ser chamado à atenção (que é muito diferente de humilhado), orientado, guiado, estimulado e também, sim, punido. 

Você  é pai/mãe também para isso. Faz parte das suas funções ser o primeiro a deixar claro para seus filhos que determinados comportamentos não são aceitáveis em hipótese alguma.

Não tema perder o amor do seu filho pela sua FIRMEZA. Ser firme, aliás, é uma das principais lições que você pode ensinar a outro ser humano: muito diferente de ser uma pessoa dura, a pessoa firme em seus propósitos é um indivíduo confiável e digno dentro da sociedade em que está inserido.

Pode acontecer também de seu filho ou filha ser a sua maior fonte de sofrimento. Acredite, você não está só nessa triste jornada. Não discutirei aqui os meandros do destino, karma, etc que levam a vivências profundamente traumáticas em que pais que se esforçam para serem o melhor exemplo que os filhos possam ter, têm a infelicidade de receber no seio da família espíritos de má índole, que procurarão no crime e no vício investir todo o foco de suas breves vidas.

Se esse for seu caso, lembre-se que a maioridade penal marca a data em que os pais não são mais responsáveis pelos atos dos filhos. Embora não marque o fim do seu amor, enfatizo que você deve sim estipular um prazo (que dependendo da gravidade da situação pode ser até antes dos 21 anos) para que você não tenha mais de sofrer junto pelas decisões infelizes de quem você pariu.

Às vezes o afastamento do pai ou da mãe, como forma de demonstrar explicitamente que não concorda nem coaduna com as escolhas equivocadas dos filhos é uma lição importante para almas empedernidas.

Saiba: quem está na treva não apenas rejeita a luz como sempre procura levar outros para a escuridão.
Não seja refém do seu Amor. Amar a distância às vezes é a forma mais sábia.

Tanto Para Pais Como Para Filhos.

Jennifer Dhursaille

Família: OÁSIS ou ARENA? - parte 3 - Filhos e Pais

FAMÍLIA: OÁSIS ou ARENA
3ª postagem da série sobre Problemas Familiares
~*~Curta nossa Página https://www.facebook.com/Amor.Magia.Destino e não perca a sequência~*~

OS PAIS  X OS FILHOS parte 1 de 2

Achei por bem dividir essa postagem em 2 partes: uma dedicada aos pais e outra aos filhos, embora acredito que todos se beneficiarão de ler as duas partes.

Primeiramente me dirigirei aos Filhos:
Inicialmente havia escolhido uma imagem para ilustrar esse tema que focava na dificuldade de diálogo entre pais e filhos, mas uma outra me impactou muito mais, uma vez que ela é a causa real da imensa maioria dos problemas entre pais e filhos, que é a que ilustra essa postagem.

A maioria das pessoas não está preparada para ter um filho, isso é fato. 
Filho ocorre por obra de Deus, por ação do Destino, muito além das questões de irresponsabilidade, hábitos anticoncepcionais, maturidade, condições financeiras.... 
 A verdade é que se você tem uma vida sexual ativa, FILHO pode OCORRER a qualquer instante! E daí você se vira nos trinta!

Não deveria ser assim?
Não, não deveria ser assim, não.
 Só que é. É, e pronto!

 Não adianta tapar o sol com a peneira: não vivemos numa sociedade em que se espera adultos amadurecerem, estudarem, conquistarem sua independência financeira, fazerem o básico do autoconhecimento para depois pensarem em procriar. Principalmente se você nasceu num país de terceiro mundo, dê-se por feliz se seus pais não punham pinga na sua mamadeira pra você dormir e eles poderem ir pro baile.

Eles são inconsequentes e um dia responderão por isso? Possivelmente.

Mas quer saber? Ficar fazendo inventário do karma alheio não vai te levar a lugar nenhum.
SE você nasceu ali, o seu também não deve ser lá grande coisa, né? Senão tinha nascido filho de pais sociólogos dinamarqueses com mais de 35 anos.

Então, a primeira coisa que te digo se você é filho é: PERDOE SEUS PAIS.

Pode ser que eles tenham feito coisas muito mais horríveis do que dar cachaça pra um recém-nascido beber. Pode ser que eles tenham feito coisas criminosas com você, ou permitido que outros fizessem, consciente ou inconscientemente. Coisas que você se lembra até hoje quando fecha os olhos antes de dormir.

Seus pais podem ter sido seus piores algozes.
E eu lamento profundamente por isso. Eu sei o quanto essa dor é lancinante, porém só há um meio para ela parar de ser sua tortura: DEIXA-LA NO PASSADO.

Carregar as lembranças da dor significa revivê-las dia a dia e nunca sair daquele momento de terror que você vivenciou lá trás, às vezes 20, 30, 40 anos atrás.
POR AMOR A VOCÊ, e não a eles, PERDOE.

Perdoe a ignorância, o egoísmo, as doenças de alma, as psicopatias dos outros. Lembrar repetidamente desses fatos não vai fazer justiça ao seu sofrimento.

Em vez disso: TOME ATITUDES!

Afaste-se de pessoas problemáticas, de seres de alma doente que não estão dispostos a admitir seus erros ou mudar.
Pode ser seu pai, seu irmão, sua mãe, seu filho ou filha: ELIMINE DA SUA VIDA A CONVIVÊNCIA QUE CAUSA O SEU SOFRIMENTO.

Muitos dirão: “Não posso!”, mas isso só é REALMENTE justificável se você ainda é menor de idade. Se esse for seu caso, denuncie maus tratos na delegacia, verifique a possibilidade de morar com parentes mentalmente mais saudáveis. O seu caso requer uma intervenção de autoridades competentes e apoio sócio-familiar. Mas não fique sofrendo calado, fale para um amigo, para seus professores, fale para todo mundo ou em quem confiar, pois os agressores normalmente contam com o silencio das vítimas para continuarem a abusar delas.

Mas essa postagem foi pensada para quem em tese não mais depende dos progenitores  –  pessoas que mesmos aos 30, 40, 50 anos de idade permanecem em círculos viciosos emocionais por questões financeiras. Se este é o caso, planeje a data da sua libertação: guarde dinheiro, faça contatos, vá dividir um casebre com alguém.

Nada é pior do que viver INFERNADO, dia após dia, com alguém que para você representa tortura, dor, medo, prisão.

Reclamar dos pais e não romper o círculo de abuso emocional não vai lhe adiantar de nada.

Há milhares de terapias que podem lhe auxiliar a curar sua relação com seus pais e consigo mesmo, a fazer as pazes com o passado e a SEGUIR EM FRENTE, que é o mais importante.

Pode ser que você acuse seus pais (e com razão!) de não tê-lo amado o suficiente.
Mas e você, se ama o suficiente para ser agente da própria mudança?

Se você é filho, independente das diferenças de ideias entre você e seus pais, do quão atrasados, limitados, mesquinhos e hipócritas você enxergue que eles sejam, seja GRATO. Pela vida, primeiramente, e por tudo que eles tiverem te proporcionado: alimento, segurança, moradia, medicamentos, educação e até mesmo as broncas (justas ou injustas).

Admita que na maioria das vezes os pais só querem o bem dos filhos, e isso já é um dos Maiores Amores do Mundo! Pessoas imperfeitas amam de formas imperfeitas, mas ainda assim, ISSO É AMOR, E TEM VALOR!

Um dia, se você tiver filhos, ou mesmo que não os tenha, observando seus amigos sendo pais e mães, você vai perceber que a maternidade/paternidade é uma tarefa insana, para a qual ninguém recebe manual, e geralmente se é muito jovem para desempenhar tão importantes funções com maestria e sem direito a ensaio!

Se você é filho, agradeça A Fonte Criadora porque você está tendo oportunidade de fazer suas experiências aqui neste plano, e isto se deu também graças aos seus pais.

SE mais nada houver para agradecer, ISSO JÁ É BASTANTE!

Jennifer Dhursaille

Família: OÁSIS ou ARENA? - parte 2 Problemas entre o Casal

"FAMÍLIA: OÁSIS ou ARENA?"
Essa semana teremos uma série de postagens sobre Problemas Familiares
~*~Curta nossa Página https://www.facebook.com/Amor.Magia.Destinoe Opte por Receber Notificações~*~
2 - PROBLEMAS ENTRE O CASAL
Esse problema inicia esta série de tópicos porque na verdade os problemas entre o casal se constituem a base da origem de todos os demais problemas que um indivíduo pode vivenciar dentro da família.
Um casal desajustado gera filhos com problemas que irão desde a auto-estima até a incapacidade de serem felizes em seus relacionamentos futuros, passando por instabilidade profissional e problemas de saúde inclusive.
Um casal harmônico - note que o perfeito não existe! - é primeiramente exemplo para os filhos, e saberá lidar com eventuais desarmonias domésticas como a competição entre irmãos de forma a evitar extremos e promover um espaço onde todos os filhos possam ter direitos iguais.
Um casal harmônico resolve as questões com seus pais, sogros e cunhados em conjunto, baseados em compreensão e respeito pela história de vida do outro, sem julgamento, mas com foco na melhor solução possível em cada momento.
Um casal harmônico se fortalece perante crises de saúde ou financeiras, porque juntos sentem-se fortes para passar pelas provações da vida.
Um casal harmônico passa por crises sem temer que elas seja um prenúncio do final da relação, mas sim uma passagem de um estado de evolução do casamento para o próximo, pois nada é estável e é Função Natural do Amor transformar a quem ele toca.
Entretanto um casal harmônico só pode existir a partir da convivência de duas pessoas que estejam em harmonia consigo próprias em primeiro lugar. 
Infelizmente homens e mulheres costumam colocar 'a carroça na frente dos bois' e se envolverem em relacionamentos antes de terem resolvido o básico de suas questões consigo mesmos.
 Ciúmes excessivos, falta de noção do seu próprio valor, desconhecimento das próprias prioridades, imaturidade nas questões básicas do convívio humano são feridas abertas na alma que serão transportadas para dentro da relação, impossibilitando que ela cresça sadia, uma vez que já se iniciou contaminada.
Com certeza amar se aprende amando, e todos estamos em diferentes graus de evolução, porém, se você já identificou que relacionamentos passados deram errado por conta de questões pessoais suas mal resolvidas, não estrague a chance de um outro relacionamento dar certo por conta da sua carência.
Aprenda a estar só e aproveite esse tempo para resolver o que lhe tem impedido de ser mais pleno. 
Entrar inteiro em um relacionamento aumentam as chances de que ele possa dar certo, uma vez que evita que reflitamos nos outros as nossas imperfeições, num mecanismo de sombra projetada.
Uma dura verdade a ser levada em conta: Antes morrer solteiro do que nossas más escolhas serem causa de infelicidade para nós mesmos, para o outro, para a família e principalmente para os filhos que essa união poderá vir a gerar.
O ambiente familiar será palco sempre de lutas internas e conflitos de personalidade; porém há as batalhas produtivas, que levam ao progresso de todos os envolvidos e aquelas que não valem a pena lutar, pois não estando um disposto a mexer nos seus pontos nevrálgicos não adianta o outro insistir, pois só mágoas advirão daí.
Procure unir sua vida a alguém que esteja disposto a lutar as mesmas batalhas!
Jennifer Dhursaille

Uma matéria sobre as principais causas de problemas entre casais segue abaixo:



Família; OÁSIS ou ARENA? - parte 1



"FAMÍLIA: OÁSIS ou ARENA?"
Essa semana teremos uma série de postagens sobre Problemas Familiares
~*~Curta nossa Página https://www.facebook.com/Amor.Magia.Destino e Opte por Receber Notificações~*~

Quem não enfrenta ou enfrentou problemas de família nesta vida?
Os conflitos de ordem domésticas são o que de pior uma pessoa pode experimentar pois minam diretamente a fonte de reabastecimento energético principal de qualquer indivíduo: o Lar.

SE o local onde a pessoa deveria encontrar segurança, apoio, nutrição emocional, que deveria ser o local onde os horrores, a frieza, a dureza, as exigências para sobrevivência do dia-dia do mundo atual, falha em proporcionar isso a ela porque está contaminado, temos soldados que jamais descansam na batalha, e se tornam zumbis da vida, incapazes de enfrentar a guerra que é a jornada nesse mundo com otimismo e garra, pois estão tão defasadas energeticamente que não caminham, se arrastam pela vida, esgotados e perdidos!

Outras pessoas, de características mais guerreiras, se esforçam além do que podem e seguem dando aquilo que não tem para tentar chegar a uma posição melhor, muitas vezes não conseguem porque sem referências não são capazes de reconhecer o bom, o normal, o tranquilo.
Estão tão acostumadas ao sacrifício que os Oásis lhes parecem irreais e elas passam por eles sem parar, pois tudo parece vão, fútil e perda de tempo, quando tudo o que importa é encontrar a tão sonhada Paz Definitiva.

Alguns buscam a independência financeira de forma equivocada, que lhe gerará ainda mais escravidão, a curto, médio E longo prazo. Outras buscam escapar de um lar abusivo em relacionamentos não muito melhores e quando derem por si estarão  enredadas em outra situação familiar muito semelhante àquela da qual tentou fugir e vivenciando padrões doentios equivalentes.

Quem já não ouviu a famosa frase: “A família é a Base de Tudo”?
Realmente é.
Inclusive dos seus problemas.

Essa série de postagens não visa pregar a desagregação familiar.
Muito pelo contrário: se você tem uma família parcialmente saudável, que lhe proporciona mais momentos de alegria do que de desespero, que lhe faz rir, que lhe diz que tudo vai estar bem, seja lá o que você estiver passando, que se preocupa quando você adoece, que não menospreza seus sonhos, seus gostos, seus desejos, que é capaz de comprar uma briga por você mesmo e com você mesmo pra impedir que você faça algo de que irá se arrepender amanhã, se te enxergam como um filho de Deus que nasceu com um propósito além do que eles possam vir a compreender e mesmo não gostar, e mesmo com todas as diferenças e brigas e rusgas você possa dizer com certeza:

“Eu amo minha Família porque ela é uma das melhores coisas da minha vida!”
mesmo que essa família seja composta de 3 pessoas, sendo uma delas um pet ou uma samambaia, você realmente deve se prostrar agora e dar graças aos céus pela graça que você recebeu.

Saiba: você é uma das pessoas mais ricas da face da Terra!
O que você tem, dinheiro nenhum compra e nada é capaz de substituir.
Parabéns! Use sua vida de forma a aproveitar ao máximo cada minuto que puder passar na companhia dessas pessoas, pois nada é eterno, e quando Anjo Certeiro vier buscar um de vocês, assegure-se de que não haverá arrependimentos.

Agora, se você faz parte da estatística dos infelizes que precisam sobreviver entre inimigos que levam o rótulo de parentes, vamos ter uma conversa séria nas próximas 3 postagens abordando os pontos mais cruciais dos relacionamentos familiares: cônjuges, pais e filhos.

Infelizmente, com a desculpa de que “é karma” muita gente aceita o cativeiro de bom grado, acreditando que é “seu papel” SALVAR a pátria familiar.
Meus irmãos: nem Jesus Cristo salva se você não fizer sua parte (e cada um a sua)!
Não viva na ilusão do “um dia isso vai mudar!”
Enquanto você espera, a vida passa.

INVESTIR nos relacionamentos é obrigatório de quem pretende vir a ter uma convivência sadia de qualquer tipo com qualquer pessoa, e disso fazem parte os sacrifícios, sim, a abnegação, a doação.
Mas todo investimento tem que dar RETORNO!
Se você aplica dinheiro num investimento e ele não está rendendo, o que você faz? Espera pra ver se muda a maré?
Ok, não vamos nos precipitar. Tudo na vida tem períodos positivos e negativos.
Agora, depois de 5, 10, 15 anos você continua investindo, sem retorno e ao invés disso PERDENDO?
Esperando que uma hora melhore?!?!?

SE você não faz isso com dinheiro, por que faz com sua VIDA, que é muito mais valiosa?

Cada relacionamento que tentamos manter demanda nossa energia, sabedoria, paciência, afeto, cuidado, etc etc etc.
NO nosso plano, esses “bens do Espírito” não são inesgotáveis, pois estão sujeitos ao ego que canaliza uma quota dos atributos do espírito para esta vida a fim de que você conduza-se por esta experiência encarnatória, Eles precisam ser reabastecidos de alguma forma; ou seja, a não ser que você seja um avatar, de onde você está tirando para dar a outro estará faltando para você mesmo se não houver um equilíbrio nessa conta, você entrará no vermelho. Muitos procuram abastecer suas quotas através da religião, da meditação, do auto-aprimoramento, e isso tudo de fato ajuda, mas, lembre-se:
Inadimplência Energética, Afetiva, Moral, Mental leva à FALÊNCIA do seu próprio plano de vida.

Algumas pessoas gostam de pensar que ‘resgatar’ alguém é sua missão de vida. Nem eu nem ninguém podemos validar ou invalidar isso.
Entretanto, se você pensa assim, te convido ainda mais a ler essa série de postagens, só para que você possa ter a oportunidade de analisar sua situação por outra ótica e então confirmar para si mesmo se aquilo que você acredita que deve ser seu FOCO nessa vida está mesmo de acordo com as Leis da Vida.
Você topa?
Então, vamos lá!
Curta a página “Amor é Seu Destino” https://www.facebook.com/Amor.Magia.Destino e opte por receber notificações no menu Curtir.

Até amanhã, quando teremos a 2ª parte dessa conversa!


terça-feira, 15 de setembro de 2015

A Pergunta de Ouro e o Foco na Sua Missão de Vida

FOCO NA SUA MISSÃO DE VIDA!
~~~*~~~


Você sabe qual é a sua "Pergunta de Ouro"?
Em mais de 25 anos lendo cartas, runas, fazendo mapas astrais e numerológicos para as pessoas, uma coisa sempre me espantou profundamente: o quão distraídos são os indivíduos daquilo que realmente deveria lhes importar!

A maioria das consultas são motivadas por questões sentimentais ou profissionais, e isso claro, é muito importante nas nossas vidas, mas raras vezes uma pessoa que estava atendendo me fazia a pergunta de ouro:
"Jennifer, eu gostaria de saber sobre a minha vida espiritual, sobre o meu caminho espiritual"

Entretanto essa é a pergunta mais importante de todas, pois ela é a que lhe fornece as chaves para a sua felicidade real.
Amigos, estamos todos aqui de passagem! Sendo assim, não são as questões envolvendo o namorado atual, o emprego atual, os problemas de família ou de saúde atuais que farão a diferença no esquema maior das coisas.
Já dizia o guia espiritual de Chico Xavier: "Tudo passa".
E passa mesmo!
O que não passa é o motivo pelo qual você encarnou aqui neste momento, neste espaço-tempo, nessa família, para reencontrar essas pessoas com as quais você tem mil questões pendentes e precisa seguir um caminho profissional "X" que esteja de acordo com a evolução do seu destino.

Existem algumas (raras) pessoas que conseguem manter o foco desde a infância naquilo que vieram fazer aqui:
"Serei veterinária, vou fazer uma ONG para ajudar animais de rua, terei dois filhos e adotarei outros 2!"
Muitos dirão que é uma bobagem ou um sonho, mas se a pessoa conseguir 'se bancar' perante o descrédito dos outros ('família' não só inclusive, como PRINCIPALMENTE) ela não apenas realiza o que todo mundo achava improvável, como TUDO O MAIS DÁ CERTO NA VIDA DELA!

A PESSOA CERTA PARA NAMORAR E CASAR APARECE!
OS AMIGOS CERTOS QUE APRESENTAM PARA AS PESSOAS CERTAS QUE AJUDARÃO NA REALIZAÇÃO DOS SONHOS APARECEM 
(TODAS ATRAVÉS DE INCRÍVEIS COINCIDÊNCIAS ASSINADAS COM O PSEUDÔNIMO DE DEUS, O "POR ACASO"...)
O EMPREGO CERTO QUE POSSIBILITA AS CONDIÇÕES MATERIAIS ESPECÍFICAS SE CONSEGUE!
AS VAGAS SÃO CONQUISTADAS, OS CONCURSOS GARANTIDOS, AS CHANCES SEMPRE SUFICIENTES!

Quando a pessoa está fora do seu foco missionário  - tudo dá errado, mesmo que aos olhos dos outros tudo pareça certo.
O 'bom emprego', 'a esposa linda', 'as conquistas materiais' que proporcionam conforto e causam inveja aos outros não conseguem trazer o principal: FELICIDADE A QUEM OS TEM, pois embora maravilhosas, essas coisas podem não estar de acordo com a programação existencial de um determinado indivíduo. Seriam perfeitas para os outros, mas para ele parecem não fazer diferença nenhuma.

"A Missão" nem sempre é algo grandioso aos olhos dos outros, pode ser algo tão simples quanto ser operário, criar um filho e ser a pessoa que não perde a cabeça no meio das loucuras da família, aquela que dá o conselho certo quando todos estão confusos e abrir uma quitanda na aposentadoria.
Pois não é o "glamour" que conta e sim estar no lugar certo na hora exata para que os relógios que o Plano Espiritual marcou para tocarem os alarmes nos tempos determinados possam soar, serem ouvidos e os compromissos cumpridos sem atraso nem atrapalhações.

Em vista disso, digo a vocês, meus irmãos e irmãs destes tempos loucos e terríveis que vivemos: sim, são horas finais de tempos de transição: não perca a chance de partir desta experiência corpórea sem ter executado aquilo a que você se propôs antes de encarnar. O arrependimento pelo tempo perdido é uma das piores dores da alma!

Quando for a uma consulta espiritual, a um centro de Umbanda, a uma meditação, a um ritual xamânico, a uma consulta de tarot, um mapa astral, uma pessoa que tem a capacidade de acessar os seus registros akashicos (registros das experiências pregressas dos indivíduos e que oferecem os parâmetros de sua evolução), que tenha habilidade de conversar com seus mentores e te dar respostas que venham diretamente daqueles que conhecem aquele que deveria ser o seu caminho de destino aqui na Terra, NÃO DEIXE DE FOCAR EM PERGUNTAR QUAL A SUA MISSÃO AQUI.

Não se engane: essa sim é a pergunta mais importante, mesmo com frequência não sendo a que te levou a procurar uma consulta.

Somente com essa resposta em mente e direcionando suas decisões de acordo com ela, você conseguirá encontrar a felicidade possível aqui na Terra, e partir quando sua hora chegar, sem ter nada a temer do lado de lá.
Não sabe a quem perguntar? Indague seus amigos, todos conhecem ou ouviram falar de alguém que acerta, que é um profissional digno, que trabalha pautado em ética e valores espirituais, o que nada tem a ver com o fato desse profissional cobrar ou não.

Eu trabalho, sim, com isso (e cobro, como todo profissional que se estudou e dedicou seu tempo a se especializar em algo e vive na 3D onde existem infelizmente contas a serem pagas!), e conheço muitos mais profissionais gabaritados capazes de fazer um serviço tão bom ou melhor do que o meu. 
Mas esse post não é para fazer propaganda dos meus serviços, e sim para alertá-lo a dar valor ao que precisa realmente ser dado para que você amplie sua consciência e não se torne escravo de quem somente quer criar uma freguesia e manter um cliente satisfeito retornando a cada 3 meses com novas e perguntas e mais ansiosos questionamentos, que no fim não vão levar a nada!

A boa consulta vale por muito tempo. Às vezes por toda uma vida.

Jennifer Dhursaille
15/09/2015
(esse texto pode ser reproduzido desde que citada autoria e fonte)