segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Família: OÁSIS ou ARENA? - parte 3 - Filhos e Pais

FAMÍLIA: OÁSIS ou ARENA
3ª postagem da série sobre Problemas Familiares
~*~Curta nossa Página https://www.facebook.com/Amor.Magia.Destino e não perca a sequência~*~

OS PAIS  X OS FILHOS parte 1 de 2

Achei por bem dividir essa postagem em 2 partes: uma dedicada aos pais e outra aos filhos, embora acredito que todos se beneficiarão de ler as duas partes.

Primeiramente me dirigirei aos Filhos:
Inicialmente havia escolhido uma imagem para ilustrar esse tema que focava na dificuldade de diálogo entre pais e filhos, mas uma outra me impactou muito mais, uma vez que ela é a causa real da imensa maioria dos problemas entre pais e filhos, que é a que ilustra essa postagem.

A maioria das pessoas não está preparada para ter um filho, isso é fato. 
Filho ocorre por obra de Deus, por ação do Destino, muito além das questões de irresponsabilidade, hábitos anticoncepcionais, maturidade, condições financeiras.... 
 A verdade é que se você tem uma vida sexual ativa, FILHO pode OCORRER a qualquer instante! E daí você se vira nos trinta!

Não deveria ser assim?
Não, não deveria ser assim, não.
 Só que é. É, e pronto!

 Não adianta tapar o sol com a peneira: não vivemos numa sociedade em que se espera adultos amadurecerem, estudarem, conquistarem sua independência financeira, fazerem o básico do autoconhecimento para depois pensarem em procriar. Principalmente se você nasceu num país de terceiro mundo, dê-se por feliz se seus pais não punham pinga na sua mamadeira pra você dormir e eles poderem ir pro baile.

Eles são inconsequentes e um dia responderão por isso? Possivelmente.

Mas quer saber? Ficar fazendo inventário do karma alheio não vai te levar a lugar nenhum.
SE você nasceu ali, o seu também não deve ser lá grande coisa, né? Senão tinha nascido filho de pais sociólogos dinamarqueses com mais de 35 anos.

Então, a primeira coisa que te digo se você é filho é: PERDOE SEUS PAIS.

Pode ser que eles tenham feito coisas muito mais horríveis do que dar cachaça pra um recém-nascido beber. Pode ser que eles tenham feito coisas criminosas com você, ou permitido que outros fizessem, consciente ou inconscientemente. Coisas que você se lembra até hoje quando fecha os olhos antes de dormir.

Seus pais podem ter sido seus piores algozes.
E eu lamento profundamente por isso. Eu sei o quanto essa dor é lancinante, porém só há um meio para ela parar de ser sua tortura: DEIXA-LA NO PASSADO.

Carregar as lembranças da dor significa revivê-las dia a dia e nunca sair daquele momento de terror que você vivenciou lá trás, às vezes 20, 30, 40 anos atrás.
POR AMOR A VOCÊ, e não a eles, PERDOE.

Perdoe a ignorância, o egoísmo, as doenças de alma, as psicopatias dos outros. Lembrar repetidamente desses fatos não vai fazer justiça ao seu sofrimento.

Em vez disso: TOME ATITUDES!

Afaste-se de pessoas problemáticas, de seres de alma doente que não estão dispostos a admitir seus erros ou mudar.
Pode ser seu pai, seu irmão, sua mãe, seu filho ou filha: ELIMINE DA SUA VIDA A CONVIVÊNCIA QUE CAUSA O SEU SOFRIMENTO.

Muitos dirão: “Não posso!”, mas isso só é REALMENTE justificável se você ainda é menor de idade. Se esse for seu caso, denuncie maus tratos na delegacia, verifique a possibilidade de morar com parentes mentalmente mais saudáveis. O seu caso requer uma intervenção de autoridades competentes e apoio sócio-familiar. Mas não fique sofrendo calado, fale para um amigo, para seus professores, fale para todo mundo ou em quem confiar, pois os agressores normalmente contam com o silencio das vítimas para continuarem a abusar delas.

Mas essa postagem foi pensada para quem em tese não mais depende dos progenitores  –  pessoas que mesmos aos 30, 40, 50 anos de idade permanecem em círculos viciosos emocionais por questões financeiras. Se este é o caso, planeje a data da sua libertação: guarde dinheiro, faça contatos, vá dividir um casebre com alguém.

Nada é pior do que viver INFERNADO, dia após dia, com alguém que para você representa tortura, dor, medo, prisão.

Reclamar dos pais e não romper o círculo de abuso emocional não vai lhe adiantar de nada.

Há milhares de terapias que podem lhe auxiliar a curar sua relação com seus pais e consigo mesmo, a fazer as pazes com o passado e a SEGUIR EM FRENTE, que é o mais importante.

Pode ser que você acuse seus pais (e com razão!) de não tê-lo amado o suficiente.
Mas e você, se ama o suficiente para ser agente da própria mudança?

Se você é filho, independente das diferenças de ideias entre você e seus pais, do quão atrasados, limitados, mesquinhos e hipócritas você enxergue que eles sejam, seja GRATO. Pela vida, primeiramente, e por tudo que eles tiverem te proporcionado: alimento, segurança, moradia, medicamentos, educação e até mesmo as broncas (justas ou injustas).

Admita que na maioria das vezes os pais só querem o bem dos filhos, e isso já é um dos Maiores Amores do Mundo! Pessoas imperfeitas amam de formas imperfeitas, mas ainda assim, ISSO É AMOR, E TEM VALOR!

Um dia, se você tiver filhos, ou mesmo que não os tenha, observando seus amigos sendo pais e mães, você vai perceber que a maternidade/paternidade é uma tarefa insana, para a qual ninguém recebe manual, e geralmente se é muito jovem para desempenhar tão importantes funções com maestria e sem direito a ensaio!

Se você é filho, agradeça A Fonte Criadora porque você está tendo oportunidade de fazer suas experiências aqui neste plano, e isto se deu também graças aos seus pais.

SE mais nada houver para agradecer, ISSO JÁ É BASTANTE!

Jennifer Dhursaille

Nenhum comentário:

Postar um comentário