quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Sobre Diferentes Terminologias



No grupo Terra Stellar de Estudos de Espiritualidade Avançada no Facebook, postei a resposta a uma pergunta feita na minha página pessoal, muito oportuna, por conta das inúmeras variações nas nomenclaturas utilizadas por diferentes sensitivos para explicar seus conteúdos. Achei oportuno também deixar registrado aqui no blog a resposta.
Se a pessoa frequentou a Gnose, ela conhece aquele conteúdo, aquela lógica, aquela nomenclatura; se tem experiência na Eubiose tem todo um vocabulário que nessa escola aprendeu, uma lógica mental para as coisas e etc.
Por falar da Intraterra, às vezes as pessoas partem do princípio que eu seja versada em tudo que já falaram ou escreveram ou ensinaram sobre esse assunto, mas na verdade eu quase nada li a respeito, pois nunca acreditei que existisse Intraterra.
Tudo que escrevo a respeito foi passado pelos Seres Extradimensionais com os quais tenho contato, e eles não costumam me passar os nomes que eles utilizam para as coisas, justamente para atingir um público maior e não necessariamente versado em terminologias segmentadas.
Cada contatado tem uma ordem de trabalho, a minha é essa, falar em termos simplificados, mas há quem receba informações com a própria nomenclatura utilizada pelos ETs. Eu recebo poucas coisas nesse sentido, normalmente termos utilizados no idioma Solara-Maru que é o mais utilizado em Telos, como a palavra "Lanzarina", que se refere aos dons individuais oriundos da Fonte Criadora de que alguém é portador.
Mas, por exemplo, quando me explicaram sobre o Eu Matriz, que depois fui descobrir que já era conhecido por muitos outros nomes, eu e amigos meus que também estavam aprendendo diretamente com os Seres Estelares sobre esse assunto, já nos referíamos a ele como Eu Matriz porque ele de fato é a matriz geral de todos os seus demais corpos independente do níveis de densidade em que eles se manifestem.
O meu papel não é 'dar nome às coisas', mas sim ampliar o conhecimento sobre as funções de coisas muitas vezes já conhecidas, explicar como atuam muiltidimensionalmente, por exemplo os chakras, que servem para muito mais do que aquilo que é falado normalmente a respeito.
Não somente sobre o nome das coisas, mas também determinadas explicações caso não tiverem sido passadas a mim diretamente por eles, não reproduzirei.
Isso não significa que não seja verdadeiro o ensinamento da fonte A ou B, apenas a minha ordem é falar apenas do que eles me mandam falar (e já estou em atraso com muita coisa por falta de tempo!).
Se eu não vi, não vivi, não recebi informação a respeito, não falarei o que "acho", porque por mais que possa fazer sentido, pode não ser um fato comprovado.
Cada contatado ajuda a fortalecer a cor num ângulo do quadro maior, pois a soma da totalidade das informações não cabe numa única perspectiva.
Namastê a todos!
Jennifer Stella

Nenhum comentário:

Postar um comentário